Posts

6 sinais de que você está destruindo suas finanças

Ter uma vida confortável e sem apertos no fim do mês é o sonho de todos, mas nem sempre há um cuidado com as finanças para que isso aconteça. Listamos seis problemas a serem evitados para quem quer se manter sempre no azul:

Gastar todo salário

Muitas pessoas veem o salário como uma fonte renovável de gastos, zerando a conta ao longo de 30 dias por terem a certeza que no 5º dia útil ela será reabastecida com um novo provento. Entretanto, na prática, as coisas podem se complicar.

Imagine só como é difícil a situação de uma pessoa que, sem nenhuma reserva em caixa, perde sua fonte de renda? Como se manter em uma situação de crise como essa?

O último relatório de Cidadania Financeira do Banco Central aponta que apenas 46% da população consegue levantar fundos para uma emergência. É preciso ir na contramão do praticado pela maioria.

Para isso, tenha em mente manter uma reserva de emergência de ao menos três vezes o valor do seu gasto mensal, assim, em uma situação adversa, haverá tempo hábil para uma recolocação profissional.

Não guardar dinheiro

De acordo com a Associação Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão (Anapar), esta é a realidade de muitos brasileiros: 51% da população não guarda dinheiro. Quem procura uma vida financeira equilibrada deve fugir do padrão apontado pela estatística.

Crie uma rotina para poupar dinheiro, mesmo que comece com pouco. Pode ser um valor fixo ou um percentual incidente sobre os ganhos do mês. Assuma esse compromisso com você mesmo.

Atrasar o pagamento do cartão de crédito

Gastos com cartão de crédito envolvem muito controle e bom senso, pois as taxas de juros praticadas pelos bancos em caso de atrasos e inadimplência estão entre as mais altas do mercado. A taxa de crédito rotativo teve alta de 11% no início de 2019, chegando à média de 286,9% de juros ao ano, também de acordo com o Banco Central.

Portanto, se perceber que terá dificuldades de pagar as faturas em dia, evite utilizar essa modalidade de compra. Além disso, dê preferência para bancos que proporcionem maior nível de transparência e acesso, como os que disponibilizam aplicativos para consultas e transações, assim será mais fácil ter o controle constante do orçamento para não estourar o limite.

Não ter controle sobre gastos

Uma vida financeira saudável exige disciplina e controle, para isso, é imprescindível saber quanto, como e com o que se está gastando. Planilhas de orçamentos e aplicativos que registrem gastos são ótimas formas de desenhar um panorama.

Dessa forma, é possível traçar estratégias de redução e até mesmo cortes de gastos supérfluos, o que fará sobrar um dinheiro a mais no fim do mês.

Saiba quanto e com o que você gasta seu dinheiro, monte um orçamento e veja se é possível reduzir seus gastos, assim, sobrará mais dinheiro no final do mês.

Não planejar

Ter metas é crucial para quem quer adquirir o hábito de poupar, pois sem objetivos específicos, ver o dinheiro acumulado torna-se uma tentação para gastar.

Carimbe cada montante que juntar com um destino final: realizar um desejo de consumo, viajar, fazer um curso, trocar de carro, comprar um imóvel… Sabendo aonde se quer chegar a jornada será ainda mais motivadora.

Não investir

Não somente poupar é importante, mas também investir. O dinheiro que está parado em uma poupança rende taxas irrisórias, portanto, busque opções mais rentáveis e de forma variada, respeitando as suas necessidades quanto valores e riscos.

Garanta seu futuro investindo um pouco todo mês e com consistência, dessa forma você estará construindo um patrimônio.

Preparado para seguir esses passos e reorganizar sua vida financeira? Conte com a ConsultScore para te ajudar. Um de nossos muitos serviços é atuar no desenvolvimento do planejamento financeiro pessoal e familiar, auxiliando no acordo de dívidas, produção de orçamento e controle de gastos.

7 passos para a riqueza

Muitos almejam uma vida farta e sem preocupações financeiras, mas poucos realmente se organizam para alcançá-la. Pensar que somente pessoas nascidas em berço de ouro podem chegar ao primeiro milhão é um mito. É, sim, possível começar de onde você está e com aquilo que tem. Quer saber como? Aqui te damos algumas dicas que podem ajudar:

Anote suas despesas

Perder o controle dos próprios gastos é algo fácil de ocorrer quando não anotamos, por menor que seja a despesa. O primeiro passo para conseguir guardar dinheiro é identificar os ralos por onde ele escoa. Não são somente as despesas maiores que levam embora seu dinheiro: pequenos gastos diários acumulados tornam-se uma grande dívida no fim do mês.

Anote tudo, determine suas prioridades e pule para o segundo passo.

Corte despesas desnecessárias

Uma vez identificados todos os gastos, é hora de cortar o que pode ser evitado. O conceito de desnecessário é subjetivo, mas perceba que nem tudo é uma real prioridade. Sempre há algo que pode ser cortado.

Eduque-se financeiramente

Os pilares da educação financeira são poupar e investir. Quanto mais cedo esses valores são inseridos na vida de uma pessoa, melhor, pois pode ser complicado começar se já existe um histórico de gastos excessivos e dívidas. Nesses casos é preciso, antes, modificar toda a relação com o dinheiro: cortar gastos, renegociar dívidas e ter muita paciência.

Construa fluxos de renda

Uma ótima alternativa é ter mais de uma fonte de renda. Tem um emprego fixo? Não se contente com ele e busque outras formas de fazer dinheiro. Um hobby ou talento que não tenha a ver com sua área de atuação pode ser uma oportunidade de negócio, por exemplo. Seja criativo para descobrir suas próprias minas de ouro.

Invista o dinheiro poupado

Não basta guardar dinheiro e deixá-lo parado em uma poupança que rende juros pífios, é preciso fazer o seu montante trabalhar por você. São várias as opções de investimento: Tesouro Direto, CDI (Certificados de Depósito Interbancário), CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI e LCA ( Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio), entre outros.

Ressaltamos, porém, que é preciso ter cautela: alguns investimentos, embora mais lucrativos, possuem riscos maiores que outros. Sempre pesquise a melhor opção do mercado financeiro para o seu caso.

Reinvista os lucros

Você já aprendeu a investir seu dinheiro e ele rendeu juros. É hora de gastar? Negativo! Lembre-se que quem poupa tem. Aproveite os rendimentos do seu investimento e faça ainda mais dinheiro.

Viva apenas de renda passiva

Uma vez que você pegou experiência com investimentos, é possível viver da renda passiva que eles geram. Pode levar algum tempo e com certeza um bom capital inicial, mas é uma prática possível. Se você tem intenção de enriquecer, essa é com certeza uma das melhores formas.

Animado para começar a fazer fortuna? Nós, da ConsultScore, estamos aqui para te ajudar com o pontapé inicial. Somos especializados em desenvolver o planejamento financeiro pessoal e familiar de nossos clientes, auxiliando em acordos de dívidas, controle de orçamento e desenvolvendo boas práticas previstas pela educação financeira.

Clique aqui e veja como podemos te ajudar!