Educação financeira em 5 passos práticos

A educação financeira é um problema na vida de muitos brasileiros, já que não somos incentivados desde cedo a poupar em vez de gastar. Hoje, mostraremos algumas dicas simples para o dia a dia e provaremos que o assunto não é um bicho de sete cabeças.

Calcule todas as suas dívidas

Se suas contas estão em dia, o seu caminho pela educação financeira será ainda mais fácil, pode pular este primeiro tópico. Mas, se está no vermelho, não se desespere, para tudo há um jeito. Vamos te ajudar a se organizar.

Primeiro, identifique todas as suas dívidas. Muitas vezes entramos em uma bola de neve, não sabemos nem mesmo o valor das contas atrasadas e os juros que estamos pagando, não é mesmo? É preciso tomar ciência de todo o problema para sair dessa situação.

Saiba quais são seus débitos e renegocie. Não tenha medo de pedir descontos e parcelas que caibam no seu bolso. Acredite: as empresas e bancos têm tanto interesse em receber quanto os devedores em resolver seus problemas. Sempre há uma forma de chegar a um consenso que contemple as partes envolvidas.

Identifique gastos que podem ser cortados

Pagou um plano anual de academia e falta muito? Essa não é a sua prioridade no momento. Contratou vários canais na TV a cabo e mal assiste? Este serviço também não é importante para você.

A economia de gastos começa pelo supérfluo. Questione-se sobre o que realmente tem valor, assim ficará fácil perceber quais são os itens dispensáveis na sua rotina.

Fuja da tentação

Todos nós temos um ponto fraco no quesito compras. Não resiste a um sapato ou é fã de lançamentos eletrônicos? Evite dar aquela passadinha no shopping na hora do almoço ou visitar e-commerces quando estiver de bobeira navegando pela internet, principalmente em períodos de liquidações.

Ninguém é de ferro, portanto, melhor evitar o desejo.

Cuidado com o cartão

Essa dica é quase um “chover no molhado”, mas não sai de moda. O cartão de crédito é uma das maravilhas práticas da vida moderna, mas é um dos principais vilões das finanças nas mãos de quem não tem controle. Estipule um teto de gastos mensais e nunca, em hipótese alguma, tenha um limite maior que a sua renda.

Crie metas de curto, médio e longo prazo

“Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir”, a frase do pensador romano Sêneca encaixa-se perfeitamente nesta dica. Seu dinheiro precisa ter um destino, do contrário, será muito mais fácil gastá-lo com a primeira tentação que surgir no caminho.

Suas metas devem ser pequenas, médias e grandes. Transforme aquele sapato do segundo tópico em uma meta, por exemplo, em vez de sucumbir ao desejo imediato e parcelá-lo no cartão de crédito, junte o valor. Suas compras terão ainda mais propósito dessa forma.

Já nas metas a médio e longo prazo, aposte naquele sonho que nunca sai do papel por falta de planejamento financeiro.

Dica bônus: Consultoria Financeira ConsultScore

Toda ajuda é sempre bem-vinda, não é mesmo? O nosso serviço de Consultoria Financeira desenvolve um planejamento financeiro pessoal e familiar personalizado para que você atinja os seus objetivos.

QUERO CONHECER