O que é perfil de investidor

O que é perfil de investidor?

O perfil de investidor é um questionário que todas as instituições financeiras que possuem aplicações, seja renda fixa ou em renda variável, devem solicitar de seus clientes para entender qual a experiência deles com investimentos e o quanto de risco eles estão dispostos a correr.

 

Esse questionário é regulado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e, através de seu resultado, a instituição pode entender melhor quais produtos ofertar.

 

Para conhecer mais sobre o perfil de investidor, leia este conteúdo até o final!

 

Perfil de investidor: conheça os diferentes tipos

 

Através do questionário que você deve responder periodicamente na instituição financeira que deseja realizar uma aplicação financeira, geralmente a pessoa é encaixada como investidor conservador, moderado ou arrojado.

 

Esses três possuem tolerância a risco e geralmente conhecimentos bastante distintos, sendo praticamente designados como opostos o investidor conservador e o investidor arrojado.

 

Além disso, mesmo que uma pessoa seja experiente no mercado financeiro, não necessariamente ela vai ser um investidor arrojado, pois isso parte da tolerância a risco dela. 

 

Além disso, o questionário tem como base três principais pontos, sendo eles: segurança, rentabilidade e liquidez, as perguntas realizadas mapeiam esses pontos e caracterizam o indivíduo dentro de uma das três classes citadas acima a partir das suas respostas.

 

Vale ressaltar que ao longo do tempo, o perfil de investidor pode mudar, tanto indo de um perfil conservador para um moderado ou arrojado quanto vice-versa.

 

Porque o perfil de investidor é importante?

 

O perfil de investidor vai ajudar a definir quais são os melhores investimentos adequados para aquele determinado indivíduo, de acordo com suas respostas no questionário.

 

Dessa forma, a partir disso, a pessoa vai ter as melhores opções financeiras disponíveis, evitando potenciais frustrações ou até mesmo riscos que o indivíduo não necessariamente sabe que ele está correndo.

 

Perfil de investidor conservador

 

Para o perfil de investidor conservador, a segurança é mais importante que a rentabilidade, dessa forma, ele geralmente é caracterizado como uma pessoa que corre poucos ou o mínimo de risco possível quando falamos de aplicações financeiras.

 

Portanto, o principal foco dele está geralmente na preservação de patrimônio e do seu poder de compra ao longo do tempo. Nesse perfil, é comum que a pessoa possua todos as suas aplicações em renda fixa, mesmo que sejam títulos diversificados, tanto do Tesouro Direto, quanto outros do mercado privado, como CDB, LCI, etc.

 

Perfil de investidor moderado

 

O investidor moderado está entre o conservador e o arrojado, ou seja, ele continua prezando pela segurança, mas está mais aberto a riscos para maiores rentabilidades ao longo do tempo.

 

No caso do investidor moderado, ele costuma ter as suas aplicações em renda fixa, buscando também investimentos como debêntures ou outros que podem ser mais arriscados para ter uma maior rentabilidade.

 

Perfil de investidor arrojado

 

O investidor arrojado é mais tolerante a risco e prioriza o risco para ter uma maior rentabilidade, em alguns casos esses investidores podem ter todo ou a grande maioria de seu patrimônio aplicados em renda variável, geralmente em ações e fundos imobiliários e até mesmo também utilizar derivativos na sua estratégia de investimento.

 

Cabe ressaltar que devido à regulamentação da CBM, somente o investidor arrojado pode receber recomendações de bolsa de valores.

 

Dicas para investidores

 

Independente do perfil de investidor, é importante que você siga as dicas abaixo para conseguir ter segurança na sua estratégia:

 

1. Estude sempre

 

Nunca pare de estudar, existe bastante conteúdo gratuito no Youtube e em outras plataformas. O ideal é que você entenda e estude muito sobre aquela classe de ativos e aquele ativo em específico, independente se ele se enquadra na renda fixa ou na renda variável, antes de realizar uma aplicação e, principalmente no começo, você deve investir pouco dinheiro para ir se acostumando com a dinâmica do mercado.

 

2. Tenha uma reserva de emergência

 

Ter uma reserva de emergência, que pode ser de 6 a 12 meses do seu custo de vida, te garante paz em caso de uma demissão inesperada ou algum problema no seu carro, na sua casa ou na sua vida e faz com que você consiga deixar seu dinheiro investido por uma maior quantidade de tempo.

 

Comumente, a indicação é que caso você seja CLT, você tenha 6 meses de reserva (considerando seu custo de vida atual) e caso seja PJ ou empreendedor, tenha 12 meses, mas você pode definir o quanto você acredita que seria ideal ter de reserva, podendo até mesmo esse período ser maior.

 

3. Saiba o motivo de você estar investindo e qual sua estratégia

 

O ideal é que você tenha uma estratégia clara de porque está aplicando naquele investimento, qual seu objetivo e como você vai manejá-lo no futuro. Se você não tiver isso muito claro, você pode acabar vendendo em um momento de baixa do mercado e perdendo bastante dinheiro.

 

4. Diversifique seus investimentos

 

Não necessariamente você precisa diversificar em diferentes classes de ativos, caso seja um investidor iniciante e se sinta seguro apenas com a renda fixa, no entanto, é interessante que você tenha tanto títulos públicos quanto privados e possa dividir as aplicações para não ter tudo concentrado.

 

5. Investimentos não são apostas

 

Principalmente para a renda variável, existem vários estudos que mostram que quanto mais tempo aplicado seu dinheiro, mais ele deve render, dessa forma, você deve entender muito bem o racional de porque investir naquela determinada companhia ou fundo imobiliário e se você ainda gostaria de estar exposto nela, mesmo que ela tenha uma grande desvalorização.

 

Lembre-se que longo prazo são muitos anos, geralmente 5 ou mais de 10 e entenda se você está disposto e pode deixar esse dinheiro investido por essa quantidade de tempo antes de começar a investir na renda variável.

 

Com essas dicas, estudando ao longo do tempo, entendendo e tendo segurança das operações que você realiza no mercado financeiro e dos produtos de investimentos que você está aplicando , você vai conseguir investir com tranquilidade e provavelmente terá uma boa performance financeira ao longo do tempo.

 

No entanto, saiba que é importante ter paciência, acompanhar o mercado, entender termos econômicos e se aprofundar caso de fato você queira ter uma boa performance e se sentir seguro ao investir o seu dinheiro.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 8 =