Financiamento x Consórcio: qual se adequa ao meu caso?

Muitas pessoas têm dúvida na hora de buscar maneiras de realizar o sonho da casa própria ou do carro 0km. Por isso, não sabem qual é a melhor opção e ficam perdidos entre financiamento e consórcio.

Aqui, para facilitar um pouco esse processo, vamos mostrar a principal característica de cada um.

Financiamento

Os financiamentos podem ser feitos pelos bancos, sejam públicos ou privados, por meio de (Crédito Direto ao Consumidor) CDC, ou empresas, no caso da modalidade Leasing.

Com o CDC é feito um empréstimo para a compra do bem, que fica alienado à instituição financeira até o pagamento da dívida. Esse débito é atrelado a juros mensais fixados por contrato.

Já na opção Leasing, feito por empresas privadas, o consumidor opta por uma espécie de aluguel e só ao final das prestações o bem é passado para o nome do comprador.

Um grande atrativo para quem opta pelo financiamento é a rapidez. Assim que o crédito é aprovado, a transação pode ser concluída para a compra do carro ou imóvel. Mas essa vantagem custa mais caro, com taxas de juros que podem chegar até 14% ao ano no caso do mercado imobiliário, por exemplo, de acordo com relatório de fevereiro do Banco Central.

Consórcio

Nesta modalidade, parcelas são pagas ao longo do prazo estipulado e tenta-se a contemplação da carta de crédito, um documento financeiro, por meio de lances ou sorteios ocorridos mensalmente.

Quem não quer depender da sorte ou aguardar o fim de todo o período do consórcio para  obter sua carta, deve oferecer um lance. Quem atinge as melhores ofertas, de acordo com a média percentual que cada grupo de consorciados apresentar, tem mais chances de ser contemplado.

A adesão de consórcios teve alta de 4,9% no início de 2019, de acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), o que mostra que alguns consumidores estão se programando e buscando alternativas de melhores condições de custos do que as praticadas nos financiamentos comuns.

Isso porque nos consórcios não há juros, mas uma taxa administrativa cobrada pelas financeiras e bancos sobre o serviço prestado, o que incide em, geralmente, um percentual menor e mais barato nas parcelas. Porém, é importante lembrar que o consórcio é um investimento a longo prazo.

Qual é a melhor opção?

Diante desse cenário, vale analisar cada detalhe antes de fazer a escolha. É bom saber que não existe uma opção melhor ou pior do que a outra, pois cada situação varia de acordo com a necessidade do consumidor.

Por isso, é necessário avaliar o que é mais importante no momento: adquirir um bem de forma rápida, ou se planejar para economizar um pouco mais e ser contemplado no futuro, que pode até ser próximo. Além disso, antes de tudo, uma pesquisa sobre os valores de juros do financiamento e das taxas administrativas é primordial, pois é um mercado de livre concorrência e esses custos variam entre bancos e corretoras.

Ainda com dúvidas? Fale conosco! Nós, da ConsultScore, estamos aqui para te ajudar a escolher qual a melhor opção.

Clique aqui e veja como podemos te ajudar!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *